CONVITE PARA O LANÇAMENTO DO SITE DO MUSEU : : VANIA BRAYNER : : FACEBOOK

Convite de Vania Brayner para o lançamento do site do Museu da Beira da Linha do Coque em seu perfil de Facebook. 06/08/2015.

Convite de Vania Brayner para o lançamento do site do Museu da Beira da Linha do Coque em seu perfil de Facebook. 06/08/2015.

 

Deixamos aqui registrado o convite cuidadoso que Vania Brayner fez aos seus amigos ao compartilhar a programação do lançamento deste site do Museu da Beira da Linha do Coque em seu perfil de Facebook.  Na mesma postagem ela informa que está fazendo uma pesquisa de doutorado em que pretende estudar o nosso Museu junto com outras duas iniciativas:  o Memorial Severina Paraíso da Silva, em Olinda e a Confraria do Rosário, em Floresta.

 


 

 

CONVITE PARA O LANÇAMENTO DO SITE DO MUSEU

Por Vania Brayner

Xs amigxs que quiserem me encontrar no domingo pra matar a saudade, vou estar nessa programação massa do Museu da Beira da Linha do Coque. Vamos? 🙂

Programação para o Lançamento do site do Museu da Beira da Linha do Coque. Desing: Tomaz Alencar. 09/08/2015.

Programação para o Lançamento do site do Museu da Beira da Linha do Coque. Desing: Tomaz Alencar. 09/08/2015.

Para quem não conhece, o Museu da Beira da Linha foi criado pelo Ponto de Cultura Espaço Livre do Coque e se constitui num museu audiovisual itinerante. O objetivo do grupo é discutir e mobilizar a comunidade em torno de questões que hoje fazem parte do seu dia-a-dia. Por meio de produções audiovisuais, o Museu coleta e organiza um acervo documental, a partir da formação de um Cadastro de Contadores e Contadoras de Histórias, com registro de depoimentos de antigos moradores e previsão de incorporar, num futuro breve, os moradores contemporâneos.

O Museu da Beira da Linha do Coque é uma das experiências de memória que pretendo estudar na minha tese de doutorado em Museologia na ULHT – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, a primeira universidade em Portugal a desenvolver o ensino específico da Museologia ao nível de Mestrado e de Doutoramento nos termos da Reforma de Bolonha, que reconhece a importância da educação para o desenvolvimento sustentável de sociedades tolerantes e democráticas. Diversos docentes do Programa são fundadores e estão ligados ao Movimento Internacional para uma Nova Museologia (MINOM) — organização internacional independente, que aponta a museologia como “recurso para o desenvolvimento sustentável da humanidade”, com base na “igualdade de oportunidades, bem como a inclusão social e econômica”.

Além do Museu da Beira da Linha do Coque, mais duas experiências de memórias coletivas farão parte da minha pesquisa: o Memorial Severina Paraíso da Silva (Olinda), fundado em 2002, no Terreiro Santa Bárbara da Nação Xambá, Portão do Gelo, em Olinda (PE); e a Confraria do Rosário, uma experiência de proteção e promoção da memória de uma comunidade quilombola, em Floresta (PE), região do Sertão de Itaparica, celebração que atribuí a ideia de “museu cortejo”, expressão que escutei pela primeira vez do professor Mario De Souza Chagas. Obrigada, professor.

Agradeço o apoio e a confiança de Rildo Fernandes, Cristina Lino Gouvêa, Jampa Paulo Lima Guarani Kaiowá, Guitinho de Xambá (Bongar Xambá), professor João Luiz da Confraria do Rosário e José Mário Freire.

 

Comments are closed.